Circus Satanae: Música Original Para Domar Leões

O Circus Satanae é um projeto que se auto-intitula como “grindcore avantgard”, liderado pelo multi-instrumentista que usa a identidade de Lord Ciabataator.

Nuclear Moments… é um trabalho muito bem produzido, com um material gráfico de primeiríssima, musicalmente complexo, e que vai agradar os ouvidos abertos às novidades.

Como se trata de algo tão original e sem paralelos, acredito que seja bom buscar referências, para indicar no GPS onde o trabalho se situa. Estamos falando de um metal visceral, muito técnico, bem trabalhado, de difícil execução, e arranjo complexo. Em alguns momentos, vejo influência técnica de Steve Vai na concepção da guitarra, em outros, vejo um espírito anárquico do Frank Zappa, não por acaso um dos mestres do Vai. O resultado final me remeteu ao Primus, talvez pelas vozes caricatas. Seja como for que o Circus Satanae se apresente pra você, em forma de trapezista, domador de leões, engolidor de espadas, a porrada é no nível homem bala.

Flat Earth abre o disco com seu caos controlado, fraseados inteligentes, vocais interessantes e corais, e a referência circense.

Em Rich Man, Steal Me! fica claro que os títulos das canções e as letras são carregados de humor. Mas uma coisa com a qual não se brinca é a qualidade e a competência.

Brazilians Rightist chega a flertar com o grind, sempre com o experimentalismo à frente. Já imaginou como soa? O Circus Satanae deveria ser headliner no festival Obscene Extreme.

Todo o trabalho é permeado por referências aquela música tradicional que se ouve num circo, e Astrologer From Virginia é a mais circense de todas as canções do álbum.

Talvez você não saiba, citei como uma referência de som experimental, o guitarrista Larry LaLonde do Primus foi integrante do grande Possessed, gravando o clássico Seven Churches, e também os álbuns Beyond The Gates e The Eyes Of Horror.

Banker´s Guilhotiner possui um grande trabalho de baixo e bateria, mostrando o multi-talento de Lord Ciabataator.



Green Yellow Meat vem com várias guitarras sobrepostas, e um espetacular arranjo de vocais caricatos. Vale a pena ouvir com fone.

In The Hall Of The Mountain King é uma releitura de uma peça instrumental, fragmentos de uma obra criada por volta de 1870, incluída numa suíte de Peer Gynt. É só ouvir que vai se lembrar, com certeza já ouviu em algum desenho animado.

Lord Rothschild começa swingada e com groove, depois evolui pro fraseado de guitarra que caracteriza o Circus Satanae. Sim, senhor, esse trabalho tem personalidade.

A guitarra interage com a bateria quebrada de maneira especial em Pink Flamingos. Um grande canção experimental, que remete à faixa de abertura, e mostra uma unidade no álbum, que é um fator positivo, e de difícil construção.

Radioactive Weed Mutant trazem de volta as vozes caricatas. Vou te dizer, esse Lord Ciabaatator é um louco. Um louco talentosíssimo.

Nuclear Disaster poderia estar no repertório das grandes bandas mineiras, como Chakal, Mutilator, Witchhammer, o que é um grande elogio. Apresentando um belo arranjo de vozes. Outra faixa que você desfruta melhor se ouvir nos fones.

Esse álbum foi lançado em CD e está sendo distribuído por uma união de grandes selos nacionais, entre eles, o Extreme Sound Records. Você pode adquirir o seu aqui: https://extremesoundrecords.com.br/produto/cd-circus-satanae-nuclear-moments/

O Circus Satanae divulgou um teaser de Nuclear Moments…, que dá uma ideia do que vai encontrar.


Respeitável público, se você tem os poros e ouvidos abertos, Circus Satanae é um trabalho que não pode passar sem ser conferido. Trilhar o caminho da música original, experimental, que foge do óbvio, do lugar comum, do caminho seguro, é um ato não só de talento, mas também um ato de coragem. É entrar no picadeiro com leões à solta. Aplauda de pé.

Compartilhe!

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook

Veja Também!